Início » Filosofia, História da Filosofia

AGOSTINHO, Santo

Santo Agostinho

Padre latino e Doutor (bispo e santo) da Igreja Católica, um dos maiores filósofos e teólogos cristãos, figura central na passagem da filosofia pagã para a filosofia cristã — Aurélio Agostinho, dito de Hipona, nasceu em Tagasta (norte de África), a 13 de novembro de 354, e morreu em Hipona, a 28 de agosto de 430.

Um dos filmes de Roberto Rossellini tem Agostinho (e a sua obra) como figura central: Agostino d’Ipona (de uma trilogia a que pertencem ainda Sócrates e Blaise Pascal). Nele,

Rossellini focaliza a principal fase da vida e da obra de Agostinho: o momento em que se torna bispo de Hipona. Com rigor histórico e realismo, o filme mostra seu combate aos heréticos donatistas, a sua famosa oratória, suas idéias e a realização de seus principais livros, como ‘Confissões’ e ‘Cidade de Deus’. Este é um dos melhores trabalhos de Rossellini e uma oportunidade imperdível de se conhecer um pouco mais sobre a vida e a obra de Santo Agostinho.
(citado daqui)

Fica aqui, dobrado:

  • Se a hiperligação para o Youtube for quebrada, por favor, avise-me.
  • Viu o filme? partilhe a sua opinião, utilizando a caixa de comentários.

Tags:

Um Comentário »

  • Jorge Matos diz:

    O mais importante em Santo Agostinho é a ideia de livre arbítrio. E, se calhar, nem sequer é pelo conceito por ele definido, mas muito pela forma como a ideia de livre arbítrio se opôs à de predestinação, num dos maiores conflitos europeus, por sinal ainda não resolvido.

    Por causa do livre arbítrio dei comigo a dizer a um amigo que sou ateu e devoto de Santo Agostinho. Uma ironia, naturalmente.

Deixe um comentário!

Escreva o seu comentário a seguir, ou o trackback do seu próprio sítio da Web.

Respeite a netiqueta e o assunto em discussão. Ativámos a moderação de comentários para filtrar o spam; por isso, o seu comentário pode levar algum tempo a ser publicado.

Pode usar estas etiquetas:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Este blogue utiliza Gravatars. Se ainda não tem um, crie-o em Gravatar.