Início » Literatura, Poesia

ANDRADE, Eugénio de

Enviado por |

Eugénio de Andrade

Eugénio de Andrade é o pseudónimo do poeta português José Fontinha, nascido a 19 de janeiro de 1923, em Póvoa de Atalaia, Fundão. Estreou-se em 1940 com Narciso, afirmando-se definitivamente com a coletânea As Mãos e os Frutos (1948). Faleceu a 13 de junho de 2005, no Porto.

Homenageamo-lo recordando um dos seus “primeiros poemas” (CANÇÃO), recriação de um tema das cantigas de amigo.

A expressão Cantigas de Amigo, recordo, abrange um grande número de composições diversas, que têm de comum o facto de “serem postas na boca de uma mulher — não da mulher já subordinada às suas obrigações matrimoniais, mas da donzela, da menina em cabelo” (A. J. Costa Pimpão. História da Literatura Portuguesa, I). De molde paralelístico e inspiração fluente, são fundamentalmente tradicionais (Vitorino Nemésio. Lírica Galaico-Portuguesa). As suas variedades principais são a alba ou alvorada, a barcarola ou marinha, a bailia ou bailada e a cantiga de romaria.

CANÇÃO

Tinha um cravo no meu balcão;
veio um rapaz e pediu-mo
–mãe, dou-lho ou não?

Sentada, bordava um lenço de mão;
veio um rapaz e pediu-mo
–mãe, dou-lho ou não?

Dei um cravo e dei um lenço,
só não dei o coração;
mas se o rapaz mo pedir
–mãe, dou-lho ou não?

[imagem do jornal Público]

Tags:

Deixe um comentário!

Escreva o seu comentário a seguir, ou o trackback do seu próprio sítio da Web.

Respeite a netiqueta e o assunto em discussão. Ativámos a moderação de comentários para filtrar o spam; por isso, o seu comentário pode levar algum tempo a ser publicado.

Pode usar estas etiquetas:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Este blogue utiliza Gravatars. Se ainda não tem um, crie-o em Gravatar.