Início » Filosofia, Música

Corrette / Vivaldi: música religiosa / profana

Enviado por |

Michel Corrette[Michel Corrette]

Vivaldi (1678-1741) é um compositor conhecido do grande público sobretudo por As Quatro Estações (a que já aqui me referi). A popularidade de Vivaldi é atribuída, no artigo da Wikipédia sobre aquele compositor, ao facto de a sua música ser particularmente inovadora, dando brilho à estrutura formal e rítmica do concerto e revelando uma alegria de compor; de Vivaldi compor música apreciada supostamente pelo público em geral… E acrescenta que

esta popularidade rapidamente o tornou famoso em países como a França, na altura muito fechada nos seus valores nacionais.

O que proponho a seguir é a ilustração dessa popularidade, através duma obra de Michel Corrette (1709-1795), um compositor francês contemporâneo de Vivaldi: o seu Motetto Laudate dominum de coelis foi composto a partir de A Primavera, um dos quatro concertos de As Quatro Estações.

Ouçamos primeiro o original de Vivaldi (com Nigel Kennedy no violino, em 3 andamentos: 1. Allegro; 2. Largo; 3. Allegro Pastorale):

Michel Corrette baseia-se na obra puramente instrumental, para “musicar” o Salmo 148 (da Bíblia), que começa, na versão latina, com o versículo Laudate Dominum de coelis, laudate eum in excelsis (Louvai o Senhor, do alto dos céus, louvai-o nas alturas):

…e, entretanto, convido-o a pensar no seguinte:

a segunda obra é música sacra, enquanto que a de Vivaldi é profana. No entanto, a música, digamos, é “a mesma”. Isto levanta esta questão: o que é que torna sacra a música?

Deixe um comentário!

Escreva o seu comentário a seguir, ou o trackback do seu próprio sítio da Web.

Respeite a netiqueta e o assunto em discussão. Ativámos a moderação de comentários para filtrar o spam; por isso, o seu comentário pode levar algum tempo a ser publicado.

Pode usar estas etiquetas:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Este blogue utiliza Gravatars. Se ainda não tem um, crie-o em Gravatar.