Início » Fotografia

Dicas básicas para fotografar em situações comuns

Encontrei no Pinterest, sem conseguir identificar o autor ou sítio de origem, a imagem seguinte; ela condensa algumas dicas básicas para as situações mais habituais com que o fotógrafo se depara. Vamos desembrulhar essas dicas básicas.
dicas básicas para fotografia

Dicas básicas para quando há muita luz

Há muita luz? tem vários modos de obter uma exposição correta:

1. Aumente a velocidade do obturador:

  • O obturador é uma espécie de janela que controla o tempo de exposição do sensor da máquina à luz: quanto maior for essa velocidade (isto é, quanto menos tempo o obturador estiver aberto), menos luz incidirá sobre o sensor (e vice-versa). A velocidade é medida em frações de segundos ou segundos. Por exemplo, se fotografar com uma velocidade de 1, a cortina que impede a entrada da luz ficará aberta durante 1 segundo; mas, se esse valor for de 1/250, o tempo de exposição será menor (logo, entra menos luz).
    • Tenha em conta que com tempos de abertura altos (1 segundo, em fotografia, já é bastante tempo; mas este valor pode aumentar substancialmente) a máquina deve ser mantida fixa e apenas ficarão bem definidos os elementos do cenário que não se movimentarem durante esse tempo.
    • Estes valores podem ser usados para obter determinados efeitos. Por exemplo, para conseguir uma imagem bem definida de um automóvel em movimento, em princípio são preferíveis velocidades rápidas (recorde: 1/500 é mais rápido do que 1/250). Mas para mostrar um efeito de arrasto da corrente de um rio, devem preferir-se maiores tempos de exposição (a água não ficará bem definida, antes parecendo “leitosa”).

[fotos de António R. Gomes, que ilustraram este texto]

[imagem copiada daqui]

2. Ou escolha uma abertura menor do diafragma.

  • O diafragma é um conjunto de finas lâminas justapostas que são ajustáveis de modo a dar à objetiva da máquina a capacidade de regular a quantidade de luz que entra. As variações de abertura do diafragma definem o valor do parâmetro abertura, especificado por um número f. Quanto maior for este número, menor será a abertura e, portanto, menos luz entrará. Assim, uma abertura f/2.8 é maior do que f/16; logo, f/2.8 deixará entrar mais luz.
    • Quando escolher uma objetiva, tenha em atenção o seu valor mínimo de f/: quanto menor for esse valor, mais luminosa é a objetiva e, portanto, preferível (embora também seja mais cara).
    • Concluindo: há muita luz? f/stop maior, para uma abertura menor (para entrar menos luz).

3. Ou diminua o ISO.

  • A sensibilidade ISO mede a reação do sensor face a um determinado nível de luz. Essa sensibilidade é inversamente proporcional à quantidade de luz: quanto mais luz houver na cena a fotografar, menor sensibilidade ISO será necessária (e vice-versa). Assim, em plena luz do dia provavelmente bastará o valor mínimo de que a máquina dispõe (na maioria dos casos, um ISO 100 ou 200).
    • Prefira os valores mais baixos de ISO. É que, quanto maior for esse valor, mais “ruído”/”grão” a imagem apresentará.
    • No sítio de onde foi copiada a imagem seguinte, enumeram-se causas do ruído: além de um ISO elevado, a temperatura do sensor (causadas por exposições longas, por exemplo) e a pós-produção (quando se tenta clarear uma foto que foi sub-exposta). Indicam-se também modos de o evitar: manter o ISO o mais baixo possível; compensar a falta de luz da cena (aumentando a abertura e diminuindo a velocidade, por exemplo); cuidar de uma correta exposição.
    • …isto, supondo que quer evitar o “ruído”. Porque há situações em que ele “dá ambiência” à fotografia.
    • Concluindo… Quanto maior for o valor de ISO, mais clara será a fotografia e mais “ruído” apresentará.

[imagem copiada daqui]

Dicas básicas para quando há pouca luz

Está muito escuro?  tem vários modos de obter uma exposição correta: brevemente (e logicamente), os procedimentos são os contrários dos anteriores.

1. Diminua a velocidade do obturador.

  • Acrescento isto: de uma velocidade ao valor de velocidade seguinte, reduzimos ou aumentamos um passo, quer dizer, entrará metade ou o dobro da luz. Por exemplo, se alteramos a velocidade de 1/4 para 1/2 de segundo, entrará o dobro da luz.
    • De um modo geral, consideram-se lentas as velocidades inferiores a 1/60 (por exemplo, 1/30).
    • Como ficou dito acima, o controlo da velocidade não se usa só em função da luz; podemos usá-lo para conseguir determinados efeitos: como princípio, com velocidades rápidas (as superiores a 1/60) conseguimos imagens estáticas, congelando (ou reduzindo) os movimentos dos sujeitos fotografados; velocidades lentas (inferiores a 1/60) dão imagens com sensação de movimento.
    • Também como princípio, para conseguir fotos não “tremidas”, deve disparar-se à velocidade máxima correspondente à inversa da distância focal da objetiva. Por exemplo, com uma teleobjetiva de 200mm, será uma velocidade de 1/200; com velocidades mais lentas, haverá que usar técnicas de redução das vibrações (tripé, por exemplo).

2. Escolha um f/stop menor

  • Um f/stop menor equivale a uma abertura maior, portanto entrada de mais quantidade de luz.
    • Tenha em atenção que a um menor número f corresponde menor profundidade de campo (e a um número maior, maior profundidade). Estão desfocados objetos que queria ver focados? aumente o valor de f e compense com os valores da velocidade e do ISO.

3. Aumente o ISO.

  • Recordo novamente que o aumento de ISO provoca “ruído”. Portanto, mantenha esse valor o mais baixo possível. Mas de modo a obter uma exposição correta (veja, abaixo, como)

Outras dicas básicas

  1. Quer imagens (mais) nítidas?
    • Para evitar fotos tremidas, recorde que a velocidade segura está ligada à distância focal da objetiva: a velocidade do obturador deve ser igual ou maior que a distância focal. Por exemplo, se está a fotografar com uma lente de 50mm, use uma velocidade igual ou maior que 1/50.
  2. Não tem fotómetro para determinar a exposição correta à luz do dia? Use a regra sunny 16: em dias ensolarados, use abertura f/16 e a velocidade igual ao valor mais próximo do recíproco do ISO.
    • Por exemplo, em pleno (meio) dia com sol… f/16; ISO 100; velocidade, 1/125.
    • E se não for exatamente ao meio dia? Adaptando… manter a mesma velocidade (a mais próxima do ISO) e ir abrindo o diafragma (um número mais baixo) à medida que a quantidade de luz for diminuindo. Os valores de f/ são 1,4 – 2,0 – 2,8 – 4,0 – 5,6 – 8,0 – 11,0 – 16,0 – 22,0, 32,0 – 45,0 – 64,0.
  3. Em fotos de grupos, que abertura escolher?
    • F/Stop igual ou maior que o número de sujeitos.
    • Em fotos de grupo procure-se a colocar a máquina paralela ao grupo; se possível, colocar todos os sujeitos num mesmo plano relativamente à máquina; se houver necessidade de vários planos, focar num intermédio — e não no mais longínquo ou no mais próximo; usar uma profundidade de campo adequada, considerando as indicações que se seguem.
  4. A (maior ou menor) profundidade de campo depende destes fatores:
    • F/Stop pequeno = pequena profundidade; grande f/stop = maior profundidade:
    • Uma distância focal menor (menos zoom) permite maior profundidade de campo.
    • Quanto maior for a distância em relação ao sujeito focado maior será a profundidade de campo.

Dicas básicas de fotografia

[imagem copiada daqui]

Observação final:

como já expliquei neste texto, podemos controlar a exposição de uma imagem através da conjugação dos fatores antes mencionados: a abertura do diafragma, a velocidade de obturação, a sensibilidade ISO. Esta conjugação não foi muito acentuada no texto, porque não era o objetivo do mesmo. Mas é importante insistir nisso: uma exposição correta obtém-se pela combinação desses três fatores. Se queremos encher um tanque, obteremos a mesma quantidade de água aumentando o seu caudal e diminuindo o tempo em que a água está a correr (ou diminuindo o primeiro e aumentando o segundo). Esta metáfora para a abertura e a velocidade foi copiada daqui, onde se usam duas outras metáforas para explicar o efeito do aumento ou diminuição do ISO.

*****

Para concluir, proponho-lhe um exercício:

supondo que só interessam os parâmetros indicados em cada alínea, resolva os seguintes problemas:

  1. Dentro de uma igreja com bastante sombra usa-se uma abertura maior ou menor do que no exterior iluminado?
  2. Para fotografia de cena noturna escura, qual destas duas velocidades é mais adequada: 1/250 ou 1”?
  3. Fez uma fotografia com bastante luz, usando um determinado valor de ISO. Entretanto, mudou para um cenário com bastante menos luz, onde verifica que esse valor é inadequado. Deve aumentar ou diminuir o valor usado antes?
  4. Fotografou com uma velocidade de 1/40 e com uma objetiva de 24mm: pode considerar-se uma velocidade segura?
  5. Usou uma velocidade de 1/125 com uma objetiva de 200mm: por esse facto, há algum risco de a foto não sair nítida?
  6. Das duas fotos anteriores de António R. Gomes, qual delas foi feita com uma velocidade maior?

Se algo neste texto está incorreto ou incompleto, por favor, participe, usando a caixa de comentários!

Tags:

2 Comentários »

  • Manuel Sousa Silva diz:

    Resposta ao solicitado.
    Onde se lê:Escolha uma abertura maior do Diafragma,(deveria ler-se, abertura menor do Diafragma), pois estamos a fotografar com muita luz, a não ser que quisesse ser dito- Escolha um f maior e não uma abertura maior.

    1- Abertura maior
    2- 1″
    3- Aumentar a sensibilidade ISO
    4- A velocidade é segura
    5- A foto pode não sair nítida
    6- Foi 2ª fotografia em que se utilizou maior velocidade.

Deixe um comentário!

Escreva o seu comentário a seguir, ou o trackback do seu próprio sítio da Web.

Respeite a netiqueta e o assunto em discussão. Ativámos a moderação de comentários para filtrar o spam; por isso, o seu comentário pode levar algum tempo a ser publicado.

Pode usar estas etiquetas:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Este blogue utiliza Gravatars. Se ainda não tem um, crie-o em Gravatar.