Início » Ética, Literatura

HYBRIS

Enviado por |

“Quando os deuses querem destruir alguém, primeiro tornam-no louco”. Assim acreditavam os antigos gregos. Segundo eles, uma das maneiras de os deuses aniquilarem uma pessoa é enchendo-a de êxitos, poder, prosperidade e fama. O êxito infunde uma confiança em si própria tão desmesurada que, inevitavelmente, a leva a cometer erros e, eventualmente, ao fracasso. A esta falta de auto-controlo, os gregos chamavam-lhe hybris.

[Moisés Naím. In El País de 29 de janeiro de 2012]

Fábulas antigas, a poesia e a filosofia advertem do perigo da hybris, que era castigada por Némesis, a deusa da justiça.

Aquiles arrastando Heitor[Aquiles arrastando Heitor]

Outras leituras:

||| Le sentiment de la mesure : Hybrisme et Panmetronisme (em francês): A Hybris é um princípio essencial da moral da Grécia antiga. É uma alegoria da desmesura por paixão, por orgulho, fortemente reprovada pelos Gregos. O exemplo de Aquiles e Heitor…

Tags:

Deixe um comentário!

Escreva o seu comentário a seguir, ou o trackback do seu próprio sítio da Web.

Respeite a netiqueta e o assunto em discussão. Ativámos a moderação de comentários para filtrar o spam; por isso, o seu comentário pode levar algum tempo a ser publicado.

Pode usar estas etiquetas:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Este blogue utiliza Gravatars. Se ainda não tem um, crie-o em Gravatar.