Início » Artes, Viagens

O Castelo de Loarre, Espanha

Enviado por |
situação de Loarre[localização de Loarre em Espanha.
Imagem de Wikipédia]

LOARRE é uma povoação e município de Espanha na província de Huesca, comunidade autónoma de Aragão. Decidi fazer aí uma breve paragem, por me ficar em caminho de uma viagem com outro destino; mas acabei por pernoitar num acolhedor parque de campismo, um pouco abaixo e com o mesmo nome do seu castelo local. O Castelo de Loarre é a mais importante fortaleza do românico espanhol (séc. XI e XII).

Castelo de Loarre, Espanha

Soberbamente isolada na vertente de uma serra, a 1.100 metros sobre um imponente bloco rochoso, esta inexpugnável fortaleza, fundada por Sancho Ramírez, proporciona uma vista magnífica da depressão do Ebro. Foi romana e moura; Sancho el Mayor fê-la cristã; habitaram-na monges (aí se instalou um mosteiro em 1096) e poderia ter sido a Covadonga da reconquista catalã de Jaime de Urgel, o seu hóspede mais famoso e o grande derrotado do Compromisso de Caspe.

Em Descubrir el patrimonio español: Románico (que acompanha a revista Descubrir el arte de junho/2015), no capítulo sobre os castelos românicos (p. 85), lê-se:

O castelo cristão tal como o entendemos hoje, erigido com materiais duradouros e provido de divisões e capelas, começou a configurar-se no período românico. Em Espanha permanece o melhor exemplar existente de fortaleza românica, com elementos que abarcam os séculos XI ao XIII: trata-se do Castelo de Loarre, que, ao afastar-se a fronteira pouco, após a sua construção, ficou a salvo da dupla ameaça das investidas bélicas e das ânsias renovadoras.

Enquanto o cinturão externo de muralhas parece ser o mais tardio, o castelo propriamente dito encerra um grande conjunto de divisões, tendo-se perdido delas pouco mais do que as estruturas de madeira e os rebocos. Entre as torres, a da Rainha possui no seu interior uma chaminé da altura em que estas se inventaram, no século XI. Há salas com grandes arcos-diafragma sobre os quais descansariam as coberturas de madeira, bem como um salão de grande aparato, o qual embora estando muito arruinado conserva uma ampla abertura, de caráter palaciano e não defensivo, aberto sobre a paisagem. Em qualquer caso surpreende o talento dos construtores para se adaptarem ao terreno, colocando escadas onde é necessário, que traçam complexas ligações e que às vezes adquirem uma certa monumentalidade.

No plano artístico, o mais destacado de Loarre é a igreja, posterior a uma capela de tipo lombardo, que também se conserva. Esta igreja, coberta por uma grande cúpula, possui o paradigma das absides verticalistas, que abrangem os dois pisos do templo e da cripta em que se suportam[…].

Castelo do Loarre, Espanha

Um agradecimento especial, pela análise científica do texto, a Teresa Cordeiro e José Carlos Rueda Fernández.

Ler ainda:

Tags:

Deixe um comentário!

Escreva o seu comentário a seguir, ou o trackback do seu próprio sítio da Web.

Respeite a netiqueta e o assunto em discussão. Ativámos a moderação de comentários para filtrar o spam; por isso, o seu comentário pode levar algum tempo a ser publicado.

Pode usar estas etiquetas:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Este blogue utiliza Gravatars. Se ainda não tem um, crie-o em Gravatar.