Início » 10º ano, Filosofia da ação

Teste – 10º ano, ação e liberdade

Este teste visa avaliar aprendizagens da rubrica A Ação Humana – Análise e compreensão do agir do programa de Filosofia  do 10º ano (ano letivo de 2011/12). Encontra aqui material de apoio a esta unidade.

I.
Assinale, para cada um dos itens seguintes, a opção que completa corretamente a frase (transcreva, para cada letra ― A, B, C, D e E — o número correspondente — 1, 2, 3 ou 4):

A. A existência de movimentos físicos numa pessoa…

    1. é condição necessária, embora não suficiente, para considerarmos que ela está a agir.
    2. é condição necessária e suficiente para considerarmos que ela está a agir.
    3. não é condição necessária para considerarmos que ela está a agir.
    4. não é condição necessária, embora seja suficiente, para considerarmos que ela está a agir.

B. Quando digo que uma mulher se suicidou por suspeitar da infidelidade do marido, refiro, respetivamente, …

    1. uma acção e a sua intenção.
    2. uma acção e as suas consequências.
    3. uma acção e o seu motivo.
    4. [nenhuma das alíneas anteriores, porque, se ela se matou, foi porque quis]

C. “Se não somos livres, então não somos responsáveis. / Somos responsáveis.” podem ser as premissas de um argumento…

    1. a favor do determinismo radical.
    2. contra o determinismo radical.
    3. contra o libertismo.
    4. falacioso.

D. O determinismo moderado defende que…

    1. não há valores universais: os valores variam de acordo com as épocas e as culturas.
    2. não há hipótese de agirmos livremente, porque todos os nossos actos são causados e, portanto, determinados.
    3. o nosso quotidiano demonstra que a nossa acção se faz de modo totalmente livre, isto é, sem quaisquer condicionantes.
    4. todos os nossos actos são causados, mas mesmo assim alguns são livres.

E. “Os Homens só continuam a acreditar que são livres porque têm consciência dos seus desejos mas ignoram as causas que os determinam”: eis…

    1. uma objecção ao determinismo radical.
    2. uma objecção ao libertismo.
    3. a tese central do libertismo.
    4. a tese central do determinismo moderado.
II.
Justifique brevemente a sua (não) concordância com as seguintes afirmações:
    1. Uma ação pode ser consciente sem ser livre.
    2. Uma ação pode ser livre sem ser consciente.
    3. A afirmação “a cada instante só há exactamente um futuro fisicamente possível” é a tese do libertismo.
    4. Determinismo radical é sinónimo de determinismo moderado.
III.

Pense no que se afirma a seguir:

“O facto de sentirmos, no nosso dia a dia, que somos livres não prova que o sejamos: podemos estar enganados.”

    1. O autor deste pequeno texto discorda de um argumento a favor de uma teseExplique essa tese e esse argumento.
    2. Argumente a sua posição relativamente ao que o texto defende, analisando pelo menos um argumento contra a sua tese.

Tags:

5 Comentários »

Deixe um comentário!

Escreva o seu comentário a seguir, ou o trackback do seu próprio sítio da Web.

Respeite a netiqueta e o assunto em discussão. Ativámos a moderação de comentários para filtrar o spam; por isso, o seu comentário pode levar algum tempo a ser publicado.

Pode usar estas etiquetas:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Este blogue utiliza Gravatars. Se ainda não tem um, crie-o em Gravatar.